Thursday, February 19, 2009

Mulheres


Eu não entendo porque é que nós, mulheres, somos umas (...como dizer??...) cabras uma para as outras...

Não são todas, e não somos assim com todas as mulheres, mas há qualquer coisa de ruím de umas para as outras.

Já devem ter reparado que se uma mulher é traída, a pessoa com quem o namorado/marido a traíu passa a ser uma **** (senhora que vende o corpo), mais do que ele ser um cabrão ou filho de uma senhora que vende o corpo. Inconscientemente, também culpamos a mulher pela traição do nosso namorado... Como se ele fosse um coitadinho, que até nem se queria envolver com aquela pecadora, mas ela envenenou-o e o pobrezinho fez aquilo sem pensar. Então se ele responder "querida, estava bêbado e apensar em ti" aí é porque foi mesmo um golpe contra o menino...

E pior, mesmo entre amigas, as mulheres falam mal umas das outras. Não é chamar nomes às outras, claro que não, mas fala-se sempre nos defeitos "ah, a não-sei-das-quantas precisa de ir à ginástica, eu já lhe disse isso (mentira, não disse nada, porque sempre que a vê diz que ela está fabulosa), e também precisa de um homem de jeito, que aquela relação não lhe faz bem".

Eu sou da opinião que as mulheres têm menos amigas, mas são laços mais fortes, relações mais íntimas do que as dos homens, e eu cada vez gosto mais de mulheres (como amiga, note-se) - são mais fortes que os homens, resistem a tudo e não desistem perante nada, são ambiciosas e, claro, quando são fabulosas, são f-a-b-u-l-o-s-a-s.

E eu acho, no meu íntimo, que é esse factor de cabras (se for moderado) que as faz fabulosas, charmosas, engraçadas, porque as mostra mais fortes e menos ingénuas.

Mas isto sou eu, que não gosto de meninas com ar angelical...
(Na minha opinião, nesta foto ou noutra qualquer, a Penélope Cruz põe a Scarlet Johanson a um cantinho)

8 comments:

Cat said...

Bem-vinda ao mundo dos bolgues! :D
Eu próprio continuo a descobrir!

E, obrigada pela visita...
Beijinhos

***CAT

choogal said...

Hello! Vim cá parar no meu "zapping" de blogs diário e gostei do que li. Eu própria não gosto de mulheres santinhas porque se assemelham sempre a sonsinhas mas acho q há limites, as mulheres são umas cabras umas para as outras indeed e é isso que (a meu ver) nos diminui. Admiro imenso a camaradagem e a lealdade dos grupos de amigos gajos, acho q é isso q os torna mais fortes e para a vida. Eu própria tenho mais amigos homens do q mulheres porque sinceramente das vezes q me magoaram mais na vida não foram homens curiosamente ;) concordo tb quando dizes que apesar de tudo os laços entre mulheres são mais fortes, as minhas amigas contam-se pelos dedos de uma mão mas estão lá para a vida.
Bom post, gostei do blog (mais uma vez) e hei-de voltar certamente.

xoxo

Vanita said...

Obrigada pela visita! Volta sempre que quiseres ;)

GATA said...

Eu entendo-te... mas, como tu própria dizes, "não são todas!"

Eu não sou assim! E não estou a armar-me em boa! Até porque já fui várias vezes vítima dessa famosa 'cabrice' feminina.

E, talvez por isso, tenha mais amigos que amigas, mas as poucas amigas que tenho são cinco estrelas! :-)

P. said...

há umas que são um tanto ou quanto, sim...
eu só sou péssima quando tenho razões para tal :P

Pandora said...

Obrigada pelos vossos comentários!

Eu mesma tenho um bocadinho de cabra quando me irritam, confesso!
Mas há uma parte cabra das mulheres, que eu me esqueci de ferefir e que adoro, que é a discussão fria e irónica tipicamente feminina, porque é a pior forma para discutir, porque irrita qualquer um.

Eu só discuto feio com os meus amigos, porque merecem a minha fúria, com os outros é fria e calmamente, irritantemente indiferente (por fora, claro, porque por dentro estou a ferver,eheh!!!)

Bjs

Maria said...

Por acaso, gosto muito mais da amizade entre homens.. Muito mais sincera..
Um beijinho.

A Gaija said...

Acho que percebo o que queres dizer. Mas não é exactamente o sentido que a maior parte das pessoas dá ao termo "cabra". Não acho que seja isso que nos dá magia. Acho que é a nossa força, o nosso não desistir, até o nosso mau feitio e o nosso "não dizer o que queremos, mas ficar chateadas se não o conseguirmos". Mas, o sermos cabras, não. Isso não. E não, não sou santa. Muito pelo contrário. Mas cabra tento não ser. No sentido comum de cabra. Gostei do que escreves e da tua visão.